quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sanduiche de gente

Eu já havia ido uma vez em uma casa de swing, e confesso que mesmo sendo tão mordeninha, a sensação que me bateu foi um choque.Ver aquelas pessoas transando umas com as outras sem se conhecerem, trocando de posições e parceiros a todo instante, como se todos fossem velhos cúmplices, me deixou muito mais constrangida do que excitada.

Nessa primeira visita não entrei nessa brincadeira, seria demais para meu pobre coraçãozinho, o que fiz foi transar com o cara que entrou como meu acompanhante (amigo de uma amiga) que eu conheci ali momentos antes de adentrarmos o recinto, transamos numa daquelas salas reservadas sozinhos, e nada de espetacular posso relatar aqui.

Num dado momento da noite fui conhecer a tal sala coletiva que me deixou perplexa e deveras envergonhada, só observava sem me aproximar quando vi uma garota que me chamou a atenção por ser tão polivalente, me aproximei toquei seus seios, ela retribuiu o carinho e bem discretamente eu disse que a esperaria do lado de fora.Saí daquela sala e fiquei ali ansiosa aguardando se aquela menina realmente sairia daquela "brincadeira" que parecia diverti-la para encontrar comigo.

Ela saiu, conversamos, nos beijamos e de repente estávamos a sós numa outra sala reservada transando delicada e intensamente como costuma ser o sexo entre duas mulheres sozinhas.

Esta garota virou uma amiga colorida, após este dia ainda saímos e nos curtimos algumas vezes.E por aí terminou a minha primeira ida à uma casa de swing.

Não me lembro quanto tempo se passou após a primeira visita, creio que mais de 1 ano, e fui novamente convidada por outro grupo de amigos a conhecer uma nova casa de swing.Não estava lá muito confiante que iria me divertir, afinal a minha primeira ida não tinha sido algo incrivelmente extraordinário,não saí no zero a zero, mas também não fiz nada de diferente que não pudesse ser feito fora dali.

Pois bem, lá estava eu novamente transando com o meu novo acompanhante de entrada, igualmente em sala reservada, tudo igual à primeira vez, talvez meu inconsciente achasse que se eu transasse com o cara que entrou comigo no swing e que eu conhecera algumas horas antes de entrar no local e que esse cara fosse amigo de algum conhecido meu isso fizesse de mim menos promiscua....pois é, com certeza uma contraditória crença no subconsciente de muitas mulheres.

A noite já estava quase no fim, eu já tinha me dado por satisfeita e não esperava mais nada a não ser a minha amiga que se divertia entrando e saindo de salas reservadas e coletivas a todo instante, e eu pensava..."Puxa que coragem dela!".

Quando nosso grupinho se juntou à mesa, pra tomarmos a saidera, veio em minha direção um rapaz alto, forte e mulato, ao chegar em minha frente abriu um sorriso de velho conhecido e soltou:

_ Nossa não acredito que é você mesma! Como você está diferente, está linda, muito linda!!!! – era Mario, um antigo amigo do colegial que vivia a zuar com a minha cara na época, não, mais que isso Mario era meu arquiinimigo daqueles que sentimos saudades em ter no colégio, pois ele não só me dava apelidos, como remexia meus cadernos, quebrava minhas réguas...enfim uma perseguição que rendeu muitos dias nós dois na diretoria do colégio.

_Pois é né Mario, achou que eu ia ser gordinha e desengonçada pra sempre né????As meninas crescem e viram mulheres e não ia ser diferente comigo!

Mario ficou desconcertado, ele sabia do que eu estava falando exatamente, de quantas vezes me fez chorar com as suas piadas ridículas à respeito do meu peso, que pra falar a verdade não era alterado, mas quando se tem 13 anos, qualquer gordurinha extra faz de você uma obesa mórbida pro resto da turma .

_ Que isso eu era um moleque, você não vai levar em consideração né??? – disse tentando descontrair.

_Não tudo bem, manda...o que você queria, veio na minha direção porque me reconheceu de longe ou ia me pedir algo?

_Na verdade minha amiga, está te olhando a noite toda e queria dar uns beijos em você, ela pediu pra vir falar contigo e aí te reconheci quando cheguei perto. – falou apontando pra amiga me mostrando quem era.

_Hummm, não sei não, já estamos quase de saída!.

_ Vem aqui comigo. – ele disse me puxando pelo braço me levando aos corredores onde tinham varias salas reservadas me indicando pra entrar em uma.

_Eu não vou entrar aí com você Mario, ta louco?

_Entra aqui que meu amigo foi chamá-la pra vir encontrar você aqui, se você não quiser nada com ela beleza, mas aí voces se entendem aqui sozinhas.

Entrei na saleta e ele rapidamente entrou junto e trancou a porta ficando na frente da mesma.

_ Você está muito gata, não acredito que eu era uma babaca que zuava com você, me dá um beijo?

Eu ri, de nervoso, de ódio, de tesão.Mario estava muito gostoso também, mas eu não podia ceder, era minha única chance de me vingar dele, fazendo com que ele babasse pela garota que ele tanto menosprezou há anos atrás.

_Claro que não, eu nunca vou ficar com você, quem bate esquece quem apanha não!

Mario mal esperou que eu terminasse a frase e me agarrou me lascando um beijo na boca que calou minhas defesas e baixou minha guarda.Já que nada agora ia recuperar minha chance de vingança só me restou me entregar naquele beijo.

Nisso bateram na porta, ele abriu e eu pensava que era a tal amiga.

_Ela não vai vir não, disse que demorou e já ta saindo fora! –disse um cara alto, muito,muito,muito forte, branco e incrivelmente lindo. _Mas eu posso ficar aqui com voces?

_Mario, põe esse seu amigo pra fora, ta pensando o que ,que é festa????

_Não calma, eu não quero fazer nada, eu gosto de olhar somente!

_Nem você nem o Mario, eu não vou fazer nada com ninguém, eu to aqui só ficando com ele.FICANDO, não vai rolar nada, além disso.Portanto não há o que você ver, e eu já estava indo embora também.

Então Mario sentado no sofá me puxou fazendo com que eu caísse no colo dele, começou a me beijar com tanta voracidade que eu esqueci completamente quem ele era, onde eu estava ou o que estávamos fazendo.

A esta altura o tal amigo, já havia fechado a porta e estava no canto em pé a nos observar.

Mario fez com que eu ficasse ajoelhada em cima dele passando uma perna para cada lado de seu corpo, enquanto me beijava levantava minha saia e apertava minha bunda com tamanha força como quem quer devorar alguém.

Começou a beijar meu pescoço, abriu alguns botões de minha blusa e passou a sugar meus seios, esfomeado, mordendo de leve os biquinhos e mamando com força.Eu só fechei os olhos e me deixei levar, eu não ia fazer nada pra ele, ia ficar ali só sentindo, recebendo.

Ele abriu a calça e deixou sair um pau médio e carnudo que fez minha buceta se contrair em vontade de cavalga-lo, pois a camisinha e posicionou bem na entrada da minha buceta, de forma que eu podia sentir a cabeça, mas não deixava com que eu me encaixasse.Começou a brincar com o meu grelinho de forma suave e sincronizada, eu mal acreditava que aquele troglodita sabia dar prazer à uma mulher sem ter que usar seu pau.

Com a buceta escorrendo de tanto tesão, após algum tempo ele me penetrou sem parar de mexer no meu grelo,eu ficava cada vez mais mole e ensandecida, não conseguia sequer equilibrar mais meu corpo que tombava pra trás fazendo com que nós quase caíssemos do minúsculo sofá.Foi quando senti que o rapaz que estava a nós olhar se ajoelhou no chão e ficou ali escorando minhas costas pra que eu não caísse para trás.Eu não fazia nada, ficava ali mole sentindo aquele pau entrar e sair e ele manipular com tanta propriedade meu grelo que a essa hora estava inchado e completamente sensível.

E então senti aquele rapaz abrindo minha bunda e me penetrando por trás, eu não o impedi, eu sequer tinha condições de falar, eu só me rendi ainda mais e me deixei levar.

Me sentia uma boneca, uma marionete de pano no meio daqueles dois, não era eu quem fazia os movimentos, eram ele que movimentavam seus corpos me penetrando juntos e nessa hora eu sequer conseguia gemer, de tanto prazer que eu sentia.

Era como se o mundo perdesse o sentido de espaço e direção, é como se só existissem as sensações que me corpo alucinado de prazer me proporcionava.

Eu me sentia o recheio derretido de um sanduíche quente,forte e másculo.Acho que nunca me senti tão mulher em toda minha vida.

Mario continuava a meter na minha buceta, com menos pressão que com certeza poderia por estar sentado embaixo de mim, e aquele Deus grego sem nome metia com força no meu rabinho já que sua posição de joelhos no chão permitia tal movimento.

Era como se minha percepção estivesse aumentada, eu podia sentir cada milímetro do pau de Mario entrando e saindo da minha buceta que se contraria e escorria, eu sentia aquele pau fodendo meu cuzinho fazendo com que a cada bombada eu sentisse ele entrar com menor dificuldade.O cara que estava atrás, me fodia segurando meus seios e chupando, lambendo minha nuca, enquanto Mario se ocupava de mexer no meu grelinho, me foder e chupar os seios que o de trás estava segurando.

E foi assim, sendo duplamente penetrada e ao mesmo tempo manipulada no clitóris que eu gozei, uma, duas, três....sei lá quantas vezes.De uma forma tão intensa, tão introspectiva e ao mesmo tempo fora de mim.

Acho que jamais conseguirei explicar aqueles orgasmos que tive, só sei que com certeza foram os mais intensos de toda minha vida.Eu não estava ali para agradá-los, eu não havia planejado nada, eu não estava preocupada com a minha performance, nem se minha barriga naquela posição era ou não sexy, eu só me concentrei em mim e nas minhas sensações, como se meu cérebro tivesse se voltado pra dentro de mim e mergulhado num imenso escuro onde cada mínimo toque era assimilado por ele com total realidade e amplitude.

Aos poucos fui saindo daquele estado de transe, e recuperando os sentidos externos, Mario gozou neste momento me puxando contra seu corpo fazendo com que ele enterrasse de verdade seu pau dentro de mim.Nessa hora comecei a sentir uma dor incontrolável no meu rabinho: _Pára, pára...tira isso de mim! – gritei desesperada.

O tal amigo de Mario parou na hora, eu me virei e então me dei conta do porque da dor, o pau daquele cara era imenso, e grosso, muito grosso.Acho que mais grosso do que imenso....enfim! Fiquei abismada como um pau daquele calibre pode se enterrar dentro do meu pobre rabinho, sendo que minha bucetinha também estava cheia.Dei um pulo e fiquei em pé, abaixando minha saia e me ajeitando e pensando que eu realmente devia estar em transe total pra não sentir aquele pau fazer o estrago que fez no meu rabinho.

Nisso ele falou: _Eu não gozei ainda, dá uma chupada no meu pau pra eu gozar também vai gatinha!

Eu ri ironicamente e disse: _Que pena que você não gozou, eu gozei acho que umas 3 vezes, mas agora tenho que ir lindo, meu amigos estão esperando! – dei um beijo nele que ficou lá dentro batendo uma punheta pra se satisfazer e sai da sala reservada com o Mario pra encontrar meus amigos.

_ E então estou perdoado??? – disse Mario com malícia nos olhos.

_Mais ou menos, acho que você poderia ter sido melhor em alguns aspectos! –menti pra ele, só pra não sair tão "não-vingada"...srsrsrsrs

Fui até meus amigos e me despedi dele sem grandes estardalhaços.

Nunca mais encontrei Mario, já o outro amigo alguns meses depois nos reconhecemos dentro do metro ele do lado de dentro e eu do lado de fora e a porta se fechando entre nós.Nunca mais tive dois homens juntos , nunca mais tive um orgasmo daquele tipo.E acho que foi tão bom exatamente porque não planejei nada, foi tudo inesperado e espontâneo.

É realmente maravilhoso ser o recheio do sanduíche de dois homens, eu sei, eu sei, dá vontade mas um certo medo de se arriscar, afinal temos medo que sejamos obrigadas a fazer algo que não queremos numa situação dessas, eu dei sorte, muuuita sorte.Mas se você um dia se animar, só um conselho, deixe o cara com o pau menor atrás, porque senão amiga.....vai ficar como eu, uns quinze dias sentando meio de ladinho......mas com um sorrisinho safado cada vez que eu lembrava do motivo da minha dor.

6 comentários:

  1. gostei... escreve bem, e a sua estória bate com a minha

    ResponderExcluir
  2. olha...
    eu táva pensando em simplesmente ir tomar um chopp e comer uma pizza no happy hour agora...
    mas, acho q vc vai me fazer gastar uma grana num "entretenimento" extra hj...
    E olha q vc já me deixa assim só com essas "estórias"... acho q vc pode ter + influencia sobre mim, mais até do q pensava...rs

    bjs!!!

    ResponderExcluir
  3. Olha, não conheço quem escreve melhor que você essas coisas...sou sua fã mesmo. beijos! Malu

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Malu, apareça sempre que quiser!
    Gilda, Kevin e Samuca...agradeço a visita!
    Bjinhos a todos!

    ResponderExcluir
  5. Realmente bela história!!!!
    Ai ki saudades desse Tempo!
    bjs

    ResponderExcluir